Vinhos – Temas especiais

Descobrindo os vinhos do Beaujolais e suas nuances no Brasil

660-beaujolais-jarnioux-jb-laissard-inter-beaujolais%e2%88%8fRegião de Jarnioux | Beaujolais – França (*)

Apenas duas castas e muita diversidade

A região da França, que tem a festiva tarefa de anunciar a chegada da vindima francesa chama-se Beaujolais. Nela são engarrafados os primeiros vinhos franceses da safra do ano, para celebrar o Beaujolais Nouveau. Uma região rica em nuances, terroirs e tipos de vinhos. Por lá, apenas duas uvas reinam absolutas e expandindo-se  em nuances, exploram os sentidos de seus degustadores. A Gamay com 98% da área plantada e a Chardonnay com 2% dela. Uma tinta e uma branca, curiosamente ambas originárias do cruzamento da famosa Pinot Noir.

A região fica localizada logo ao sul da Borgonha, entre Macôn ao norte e Lyon ao sul. Tem como capital histórica, a comuna de Beaujeu e como capital oficial, Villefranche-sur-saône.

A região dos vinhos é dividida em apelações de origem 

Dos singelos, frutados, leves, frescos e festivos “Beaujolais Nouveaux”, que comemoram a chegada da safra francesa, aos “Crus de Beaujolais”, há infinitas descobertas. São 12 Apelações de origem, sendo 10 delas voltadas aos chamados Crus, vinhos de terroirs diferenciados, com aptidão para evoluir e surpreender com a guarda.

Os vinhos seguem as regulamentações das apelações de origem protegida AOP “Appellation d’origine protégée” antigamente denominadas apenas de  AOC “Appellation d’origine contrôlée” nomenclatura que levam nos rótulos.

Nas duas apelações “Beaujolais” e “Beaujolais Villages” são elaborados vinhos tintos, brancos e rosés.  Nelas são utilizadas as castas Gamay e Chardonnay. 

660-gamay-beaujolais-2014-6610Casta Gamay| Beaujolais – França (*)

Nas dez apelações dos “Crus de Beaujolais” os vinhos produzidos são 100% tintos,  elaborados apenas com a casta Gamay.  Suas diferenças são determinadas pelo terroir e pelas escolhas do produtor, no processo de elaboração. Uma destas diferenças é o tempo de maceração, contato com as cascas da uva, que varia desde 4 a 5 dias para os “Beaujolais Nouveaux”,  a de 10 a 20 dias, ou até mais, para os “Crus de Beaujolais”.

Localizando as  apelações de origem do Beaujolais

Ao norte, quase encostando na Borgonha inicia a região dos Crus de Beaujolais, circundada pela AOP Beaujolais Villages. Com grande parte situada ao sul e em uma faixa à direita da região dos Crus, próxima ao rio Saône encontra-se a maior apelação da região, a AOP Beaujolais.

A somatória da região dos Crus perfaz uma área equivalente a 33% dos vinhedos de toda a região do Beaujolais.

660-moulin-a-vent-ete-gillet-inter-beaujolais-copyrightRegião de Moulin à Vent  |  França (*)

A região dos Crus é  dividida em 10 AOP nomeadas, seguindo a linha de norte a sul, Saint-Amour, Julienás,  Chénas, Moulin à Vent, Fleurie, Chiroubles, Morgon, Régnié,  Côte de Brouilly, Brouilly. Nelas são elaborados apenas vinhos de estirpe, os chamados  “Crus de Beaujolais”, que possuem dentre seus encantos e segredos, uma forte vocação para a guarda. São vinhos de terroirs, com identidade própria, apreciáveis pela elegância e vigor.
  P Veja mapa da região AQUI

Cerca de 60% dos vinhos produzidos nas diversas regiões são consumidos em território francês, os demais são destinados à exportação.  Ao Brasil chegam vinhos de todas as 12 apelações, que juntas oferecem vinhos tintos, brancos e rosés.

Da leveza e jovialidade, à estruturação e elegância, a região de Beaujolais prima por deixar cada dia mais clara, a sua capacidade de diversificar nuances, revelando seus terroirs ao mundo.

660-morgon-saint-joseph-gillet-inter-beaujolais-copyrightRegião de Morgon|  França (*)

Vinhos | As novidades no Brasil

Recentemente desembarcaram no Brasil algumas novidades, vinhos que bem representam a produção de Beaujolais e parte de suas diversas identidades.

✔ Domaine du Clos des Garands Vieilles Vignes 2010, um Cru de Fleurie importado pela Casa do Porto

✔ Georges Duboeuf 2015 | Um Beaujolais Villages importado pela Interfood

✔ Jean Paul Brun 2014 | Um  Beaujolais branco importado pela  PNR Import

✔ Jean Paul Brun Les Thorins 2013 | Um Cru de Moulin-à-Vent importado pela PNR Import

por Camila H. Coletti
 
Editora
Escritora, sommelière ABS-SP | ASI
Master Level Provence | CIVP
pb-branco-ee

 

Mais informações sobre a região do Beaujolais  | 
Visite o site www.vinhosdobeaujolais.com.br

(*) Fotos utilizadas no texto com direitos autorais reservados para www.beaujolais.com. Cedidas para esta publicação. Não copiar ou editar.

Adicionais sobre o texto |

  • O termo Apelações de origem (AOP e AOC) refere-se a designação que equivale em outras regiões do mundo, à designação Denominações de origem (DOC).
    4  Leia mais AQUI

  • Informações detalhadas sobre terroir e outros termos utilizados na enologia mundial podem ser consultados  no Glossário da revista Eno Estilo 4 

    videira-vinho-eno-estilo.jpg


Veja  eventos de vinhos, bebidas, gastronomia e lifestyle na AGENDA ENO ESTILO

Conheça mais a revista Eno Estilo

Destaques Espaço Gourmet

Vinho da Semana  e Vinhos até 100 reais

Matérias destaques na revista Eno Estilo  Espaço Gourmet onde você encontra muitas delícias

Só os melhores vinhos da semana  Vinhos selecionados até 100 reais


ATENÇÃO: É expressamente proibida a cópia ou reprodução, em qualquer meio, impresso ou eletrônico, de qualquer conteúdo deste site,  sem a prévia autorização por escrito da editora da Revista. 
» » Vinho contém álcool que é permitido apenas para maiores de 18 anos. Se beber não dirija. « «

www.enoestilo.com.br




© 2014 - 2016 Revista Eno Estilo| Revista de vinhos e lifestyle. Todos os direitos reservados.